Menu
O que fazer

Onde pode beber vinho quente em Lisboa?

Apesar de ser uma bebida muito típica na Europa, só há poucos anos se começou a ganhar o hábito de beber vinho quente em Lisboa. De qualquer forma, mais vale tarde do que nunca. O vinho quente é perfeito para beber naquelas noites frias de Inverno quando sentimos que nada consegue aquecer-nos por dentro. É, sem dúvida, uma bebida reconfortante, mas não abuse. 

As especiarias usadas para fazer esta bebida variam. Há quem use vinho do Porto, limão, laranja, canela, conhaque ou mesmo cardamomo… a escolha dos ingredientes fica sempre ao gosto de cada um. 

Se pretende passear por Lisboa na altura de Inverno e ficar num sítio acolhedor a desfrutar de um vinho quente, deixamos-lhe algumas sugestões que não o vão desiludir.  

Este café vienense, no Chiado, tem uma receita de vários anos e nunca foi alterada. O vinho é aromático e o espaço é acolhedor. Pode também aproveitar para experimentar alguns clássicos da gastronomia austríaca.  

Morada: Rua Anchieta, 3

É uma taberna medieval e fica na Baixa de Lisboa. O vinho quente é servido todos os dias e pode pedir em jarro ou em copo. Conte com uma óptima atmosfera e um staff muito atencioso.   

Morada: Rua de São Julião, 27

Também no Chiado, é um espaço muito concorrido, mas que vale a pena conhecer. O interior tem uma luz ténue, mobiliário antigo e paredes em pedra. É um espaço muito híbrido, funciona como café, bar de vinhos e restaurante. Dizem os mais gulosos que aqui pode encontrar um delicioso bolo de chocolate. O Fábulas tem habituado os seus clientes ao vinho quente desde 2015.   

Morada: Calçada Nova de São Francisco, 14

Se procura um espaço alternativo, então tem de conhecer esta casa de chá. Tem duas salas "onde a decoração aponta para uma desconstrução de um estilo a benefício de um ambiente de sobreposições”, lê-se na página oficial de Facebook. Esta casa em Campolide além de servir chás também serve vinho quente, mas só faz parta da emente à noite.

Morada: Rua Professor Lima Basto, 105 A

Apesar de ser uma pastelaria caseira, pode ter a sorte de apanhar música ao vivo. Caso não aconteça, não há problema. Escolha uma mesa e fique a conhecer a carta especial com bebidas de Inverno. É um espaço recente em Lisboa, mas já conquistou vários fãs principalmente por causa da carta preparada por uma chef da Estónia.

Morada: Rua Gomes Freire, 146 B

Receita de vinho quente do chef Nuno Mendes

Pode sempre optar por fazer vinho quente em casa e impressionar os amigos ou familiares. Veja a receita do chef do Bairro Alto Hotel Nuno Mendes.

Ingredientes:
  • ½ Garrafa de vinho tinto;
  • ½ Garrafa de vinho do Porto;
  • 1 Copo de sumo de maçã;
  • 1 Copo de Macieira;
  • ½ Copo de xarope de acer;
  • 1 Laranja fatiada com casca;
  • 4 Paus de canela + Extra para decoração;
  • 1 Colher de chá de pimenta preta moída;
  • 1 Colher de chá de cravo-da-índia.

Modo de Preparação:
  • Adicionar todos os ingredientes numa panela em lume médio-alto;
  • Antes de começar a ferver, reduzir o lume para médio e deixar cozinhar por 15 minutos;
  • Coar o preparado para um jarro e servir com a decoração opcional.
Decoração opcional: Laranja fatiada; Paus de canela.

Últimos posts

Miradouro de Lisboa
O que fazer

O que fazer em Lisboa: as 10 melhores sugestões

Que a pandemia do Covid-19 veio revolucionar as nossas vidas pessoais e profissionais, disso, não há a mínima dúvida; no fundo, veio colocar muita coisa em perspectiva e obrigou-nos a pensar e a repensar uma enormidade de situações. Uma delas foi a imprescindibilidade da liberdade — liberdade de fazermos o que nos apetece no momento e de irmos até onde o coração nos guia. Agora que voltamos a poder senti-la, e com toda a cidade preparada para ganhar uma nova vida, eis o que fazer em Lisboa neste desconfinamento.

Saiba mais
Fundação Calouste Gulbenkian: vista de fora do edifício
Atracções

Fundação Calouste Gulbenkian: um tesouro histórico no centro de Lisboa

Um riquíssimo património natural e cultural no centro de Lisboa: assim podemos caracterizar a Fundação Calouste Gulbenkian. Embora comummente conhecida pelo seu jardim e pela sua biblioteca, este espaço é muito mais do que isso. Na verdade, cada metro quadrado seu carrega uma desmesurada importância, tanto para o desenvolvimento cultural, como para o desenvolvimento humano em Portugual e além-fronteiras.

Saiba mais