Menu
Atracções

Conheça a arquitetura e arte urbana de Lisboa

Lisboa é uma das cidades mais bonitas do mundo. A sua história, arquitetura, luminosidade única, simpatia das pessoas que aqui vivem e a deliciosa gastronomia, fazem com que esta cidade seja muito procurada e amada à primeira visita. 
Ao longo dos últimos anos, Lisboa tem-se tornado uma referência mundial não só a nível arquitetónico, como ao nível da arte urbana. Descubra os diferentes estilos arquitetónicos predominantes na cidade e as obras de alguns artistas urbanos reconhecidos internacionalmente. 

Uma cidade de estilos diversos

Em Lisboa, é possível observar os mais diversos estilos arquitetónicos nas construções da cidade e verificar como o antigo e o moderno podem conviver harmoniosamente. Embarque numa viagem pelo tempo e descubra alguns dos principais estilos de arquitetura e construções de referência.

Pombalina

A "arquitetura pombalina” foi utilizada na reconstrução de Lisboa após o terramoto de 1755, tendo sido denominada em homenagem ao Marquês de Pombal, responsável pelo projeto. Os edifícios pombalinos eram construídos a pensar na sua funcionalidade, simplicidade e segurança. Este tipo de arquitetura é predominante em toda a baixa lisboeta e zona do Chiado. Um belo exemplo da arquitetura pombalina é o Bairro Alto Hotel, um magnífico edifício que conserva as fachadas originais e foi recentemente requalificado com a assinatura do premiado arquiteto Eduardo Souto de Moura.  

Onde observar este estilo arquitetónico:
Rua Augusta;
Rossio;
Praça Luís de Camões;
Bairro Alto Hotel.

Manuelina

A arquitetura Manuelina é um estilo genuinamente português que foi desenvolvido durante o reinado de D.Manuel I. Pretendia glorificar os descobrimentos portugueses, tendo sempre presentes elementos marinhos e patrióticos. Lisboa possui monumentos espetaculares de estilo manuelino mundialmente famosos que deslumbram todos aqueles que os visitam. Se estiver de visita à cidade, não deixe de os descobrir.

Onde observar este estilo arquitetónico:
Mosteiro dos Jerónimos;
Torre de Belém;
Estação Ferroviária do Rossio;
Museu Nacional do Azulejo.

Barroca

A arquitetura Barroca foi utilizada em construções feitas durante a época dos descobrimentos e a sua expressão máxima são as Igrejas, caracterizando-se pela utilização de talha dourada e azulejos no seu interior. Em Lisboa, este estilo foi utilizado principalmente no enriquecimento de edifícios já existentes, criando interiores monumentais e de grande riqueza decorativa. 

Onde observar este estilo arquitetónico:
Basílica da Estrela;
Panteão Nacional; 
Igreja de São Roque;
Igreja da Graça. 

Neoclássica

As construções mais importantes de Lisboa realizadas após o terramoto de 1755 foram feitas recorrendo a uma arquitetura neoclássica. Este estilo foi utilizado em diversas partes do mundo caracterizando-se pela sua grandiosidade e beleza, sendo ainda hoje fonte de inspiração para os arquitetos. Lisboa tem o privilégio de contar com magníficos teatros e palácios de arquitetura neoclássica que fazem sonhar os seus visitantes.   

Onde observar este estilo arquitetónico:
Teatro Nacional de São Carlos;
Palácio Nacional da Ajuda; 
Teatro Nacional D. Maria II;
Paços do Concelho;
Palácio de São Bento. 

Contemporânea

Para além de construções mais antigas, Lisboa tem também grandes obras de arquitetura e design contemporâneo com a assinatura de criadores premiados, que a colocam no mapa das cidades mais belas do mundo e uma referência para os amantes de arquitetura contemporânea. 

Onde observar este estilo arquitetónico:
MAAT (Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia);
Museu Nacional dos Coches;
Fundação Champalimaud;
Pavilhão de Portugal;
Gare do Oriente;
Centro Cultural de Belém.

Uma galeria ao ar livre

BordaloII Vhils
Lisboa tem vindo a tornar-se um autêntico museu ao ar livre e uma das capitais mundiais de arte urbana com obras de arte espetaculares criadas por artistas talentosos e reconhecidos internacionalmente. Em vários pontos da cidade é possível encontrar obras de diferentes artistas como:

Vhils (Rua dos Cegos 42, Rua das Gaivotas 8, Travessa das Merceeiras, Salão Nobre do Teatro D. Maria II);
Mário Belém (Rua Damasceno Monteiro 2, biblioteca Manoel Chaves Caminha);
Akacorleone (Panorâmico de Monsanto, Recinto polidesportivo do Campo Mártires da Pátria);
PichiAvo (Calçada de Santa Apolónia 65);
Bordalo II (Lx Factory, Rua Bartolomeu Dias 43, Avenida 24 de julho);
Felipe Pantone (Praça Bernardino Machado, Rua do Rio Lena 40);
Add Fuel (Rua Nova do Carvalho 29, Rua da Senhora da Glória 79).


Para além das criações artísticas espalhadas pela cidade, existem também várias galerias e espaços como a Underdogs, Galeria de Arte Urbana (GAU), Panorâmico de Monsanto, entre outras, que têm diversos trabalhos e exposições de artistas como Wasted Rita, ±maismenos±, entre muitos outros. 

Últimos posts

Vista de Belém do rio Tejo
O que fazer

Do Tejo respira-se Lisboa: explore os melhores passeios

Um dos vultos maiores da língua portuguesa socorreu-se dele, em certa medida, para escrever um dos clássicos da literatura nacional. Tal como, outrora, inspiraram Luís Vaz de Camões na composição da epopeia “Os Lusíadas”, as Tágides, ninfas do Tejo, servir-nos-ão de bússola para uma viagem épica, caro leitor. Prepare-se para navegar no rio que se cruza com o mar, num encontro poético e mágico para mais tarde recordar.

Saiba mais
Praia da Comporta
Atracções

Comporta e Melides: descubra o roteiro das estrelas

Astros de Hollywood, ícones da música pop e a realeza monegasca e britânica colocaram a Comporta e Melides nas bocas do mundo. O hype despertou os portugueses para um tesouro a explorar no litoral alentejano. As praias de beleza inspiradora, a gastronomia de excelência e a tranquilidade, que convida a uma pausa, seduzem. Comporta e Melides são destinos a marcar no roteiro de verão e estão a apenas um saltinho de Lisboa.

Saiba mais