Menu
Atracções

As praças de Lisboa que contam histórias

Cada rua, cada monumento, cada jardim, cada largo, cada canto da cidade revela um pedaço do seu passado, carregado de feitos, de conquistas e de memórias. As praças, em particular, são o reflexo de uma cultura e de antigos costumes que não podem deixar de ser contados a quem as visita.

Porque conhecer Lisboa é conhecer também as suas praças e tudo o que elas representam, confira as que devem constar na sua lista de "locais a visitar”:

Praça do Comércio

É considerada a praça mais importante e a mais extensa de Lisboa, e uma das mais bonitas da Europa, tendo uma localização muito privilegiada: na baixa da capital, aberta a sul para o belíssimo Rio Tejo. 

Historicamente, a Praça do Comércio representou muito mais do que um simples local de passeio. Construída propositadamente por lá se encontrar o Palácio Real,  albergou o cais de desembarque dos barcos que chegavam a Lisboa. Estes, carregavam não só as mercadorias, como também os viajantes, sobretudo Reis e Chefes de Estado que visitavam o país. 

Inicialmente com o nome de Terreiro do Paço, após o terramoto de 1755 que abalou a baixa de Lisboa (o maior e o mais devastador terramoto até então) foi renomeada para Praça do Comércio — embora muitos ainda hoje a reconheçam como Terreiro do Paço. Este novo nome remonta à época do Marquês de Pombal, a quem se deve o mérito pela idealização e orientação da reconstrução da Praça e das zonas circundantes destruídas pelo terramoto. Foi também escolhido para representar o papel dos comerciantes, dos burgueses e de todos os que, financeiramente e com o seu trabalho, contribuíram para reerguer todo este espaço.  

Alguns locais de interesse circundantes:
  • Arco Triunfal da Rua Augusta
  • Café-restaurante Martinho da Arcada
  • Cais das Colunas
  • Estátua de Dom José I
 
Nota: Os edifícios da baixa de Lisboa (baixa Pombalina), construídos sob o cunho de Marquês de Pombal, são, até aos dias de hoje, uma das maiores atracções turísticas da capital.

Praça da Figueira

Também situada na zona da baixa de Lisboa, mas entre a Praça Martim Moniz e a Praça do Rossio, encontra-se a Praça da Figueira. Este local revela um grande valor histórico: era aqui que se encontrava o maior hospital da cidade, o Hospital de Todos os Santos, construído no séc XV e também destruído pelo terramoto de 1755. Após a sua reconstrução (uma vez mais, sob a alçada de Marquês de Pombal), foi o local escolhido para se erguer o principal mercado de Lisboa — que, embora remodelado e adaptado às necessidades actuais, ainda perdura.

Nos dias de hoje, embora sem o edifício onde albergava o hospital, este continua a ser um local com muita vida, sobretudo pelas lojas, hotéis, restaurantes e cafés (e respectivas esplanadas) existentes, assim como pela movimentação e rebuliço que se fazem sentir diariamente nas ruas.

Alguns locais de interesse circundantes:
  • Mercado da Figueira
  • Confeitaria Nacional
  • Estátua de Dom João I

Praça do Rossio

Delimitando a norte a área da baixa Pombalina, a Praça do Rossio, também conhecida como Praça D. Pedro IV, é igualmente uma das praças mais importantes da cidade de Lisboa. Se a sua extensa área já por si impressiona qualquer pessoa que por ali passa, o imponente Teatro D. Maria II — erguido no local onde havia sido a Casa da Inquisição —, a majestosa estátua de Dom Pedro IV — rei de Portugal como D. Pedro IV e primeiro imperador do Brasil como Pedro I — e as duas lindíssimas fontes (uma de cada lado da estátua) tornam-na ainda mais célebre.  

Segundo a história, foi aqui que tiveram lugar vários eventos da época, como as touradas, as paradas militares, os autos-de-fé, os comícios políticos, entre outros. Foi também lugar de passeio de muitas personalidades da burguesia (dois dos cafés mais famosos da capital ainda aqui se encontram). 

Também esta praça não resistiu ao terramoto de 1755, sendo reconstruída e requalificada após a tragédia.

Alguns locais de interesse circundantes:
  • Teatro Nacional D. Maria II
  • Café Nicola
  • Estação de comboios do Rossio 
  • Estátua de D. Pedro IV
Nota: Quando visitar a Praça do Rossio, não deixe de apreciar o seu pavimento,  que foi revestido com um padrão alusivo às ondas do mar para evocar todo a glória e esplendor da história de Portugal. 

Praça Luís de Camões

A Praça Luís de Camões, ou Largo de Camões, é paragem obrigatória para quem visita Lisboa. Tem uma localização de ouro: destaca-se entre o distinto Chiado e o boémio Bairro Alto, bem no coração da capital.

No centro impõe-se a estátua de Luís Vaz de Camões, que homenageia um dos poetas mais marcantes e inspiradores da História de Portugal. O seu maior feito, obra os Lusíadas, alcançou, ao longo dos séculos, uma dimensão universal nunca antes vista, e ainda hoje é presença obrigatória no ensino escolar português.

A par com a história que a caracteriza, esta praça é também um espaço de convívio bastante agradável, e a sua beleza é inegável, quer seja pela existência da estátua em si e pelos bancos de pedra que a ladeiam, como pela calçada portuguesa que apresenta desenhos alusivos ao mar e aos descobrimentos portugueses.

A Praça Luís de Camões é também muito popular, tanto para os turistas, como para os lisboetas, já que é o ponto de encontro mais concorrido para quem aprecia a vida nocturna do Bairro Alto, e é também uma das paragens do eléctrico 28.

Alguns locais de interesse circundantes:
  • Bairro Alto
  • Bairro Alto Hotel
  • Chiado

Praça Martim Moniz

Situada perto da Praça do Rossio, no bairro da Mouraria, reza a lenda que o nome da Praça Martim Moniz é uma homenagem ao soldado que, em 1147, arriscou a sua vida para ajudar D. Afonso Henriques (primeiro Rei de Portugal) a conquistar Lisboa aos mouros — e em especial o monumento que hoje é conhecido como o Castelo de São Jorge.

Com uma vista deslumbrante para o castelo, esta praça é dos locais mais multiculturais da cidade, dado o número de etnias que se nela se cruzam. É também aqui a paragem terminal do eléctrico mais icónico de Lisboa, o 28, facto que a torna ainda mais conhecida.

Recentemente, a Praça Martim Moniz foi requalificada e revitalizada para atrair ainda mais turistas e residentes da cidade. Várias opções de restauração (com sabores provenientes de várias culturas gastronómicas), pontos de street food, esplanadas, zonas verdes, animação de rua, entre outros, é o que aqui vai encontrar. 

Locais de interesse circundantes:
  • Bairro da Mouraria
  • Castelo de São Jorge

Lisboa é uma cidade de encantos, plena de histórias e também de estórias, muitas representadas nas suas belíssimas praças. Venha conhecê-las!

Últimos posts

Restaurante BAHR
Onde comer

Jantar romântico em Lisboa: onde levar a sua cara metade?

Já muito lhe contámos sobre esta cidade: que tem uma luz radiante, paisagens esplendorosas, lugares encantadores e carregados de histórias de “fazer chorar as pedras da calçada”. Mas o que ainda não revelámos é que as “gentes” de Lisboa — um povo profundamente caloroso e acolhedor — tem os sentimentos à flor da pele e derrete-se facilmente com uma linda história de amor. E que esta é a cidade perfeita para desfrutar de um jantar romântico com quem mais ama.

Saiba mais
Pastelarias em Lisboa: Jesuita
Onde comer

Pastelarias em Lisboa que lhe deixam água na boca

Dizem que uma cidade pode conquistar um turista pelo estômago; no caso desta capital, podemos mesmo afirmá-lo com toda a veemência. Que digam todos aqueles que têm o privilégio de provar as iguarias mais tradicionais nas várias pastelarias em Lisboa — lugares que adoçam a alma e o espírito dos mais gulosos e que, sobretudo, reflectem uma tamanha e inigualável “portugalidade”.

Saiba mais